1/35
NAS RUGAS DO TEMPO

                                                                                                                                                              Pedro Caetano Eboli


 

A exposição Nas Rugas do Tempo emerge de um conjunto de problemáticas comum aos artistas que participaram do Programa de Acompanhamento Crítico da Casa da Escada Colorida, realizado entre fevereiro e abril de 2022. Em encontros virtuais semanais, uma série de exercícios baseados na fala, na escrita e na escuta coletivas, tinham como objetivo redistribuir os lugares estanques geralmente associados ao artista, ao crítico e ao espectador. Uma vez rearticulados sob novos olhares, algumas mutações, que ja imbuíam os processos particulares dos artistas, puderam ser catalisadas. Gradativamente, um terreno comum foi se formando, de dentro da multiplicidade heterogênea de trajetórias, temas, linguagens e problemas que habitava os trabalhos reunidos. Quase como fruto do acaso, percebemos que os usos poéticos do tempo marcavam os processos individuais dos artistas, embora resultassem em diferentes soluções plásticas. A exposição procura justamente sublinhar as estratégias segundo as quais cada um deles desloca a linearidade do tempo corrente, pela exploração da temporalidade do sonho ou do mito, pelo ímpeto de ressignificar histórias e memórias pessoais, na lida com o passado colonial ou, ainda, na própria incidência do tempo sobre a matéria plástica. Contudo, procuro evitar que a explicitação deste território comum implique uma terraplanagem nas profundas diferenças entre as articulações formais e conceituais de cada artista. Tento pensá-lo como pontos de uma encruzilhada: o encontro entre uma miríade de fluxos que se deslocam em direções e velocidades diferentes. Estabelecer um espaço comum, ao mesmo tempo em que se dá testemunho de processos em curso, eis o desafio.